sábado, 5 de junho de 2010

Construções em cascata no Douro

Foto: Ferradosa - SJP
+ O forte declive é característica marcante no Douro, sem o qual a paisagem vinhateira não seria a mesma. Os socalcos - escadaria de gigantes, devem ao declive a sua existência. Também a arquitectura popular soube conviver com os acentuados declives. Na paisagem duriense são frequentes as construções que se sucedem em cascata. Nessas edificações o andar superior fica também ao nível do rés-do-chão.
Rafael Carvalho / Jun2010

4 comentários:

AC disse...

o lado direito foi um acrescento, não? cumprimentos

Rafael Carvalho disse...

AC,
penso que o edifício foi construído de raiz tal como se nos apresenta hoje.
A zona de união dos dois corpos não apresenta qualquer descontinuidade estrutural. Os blocos de pedra usados na construção, visíveis clicando na fotografia, têm continuidade nas duas alas.
Cumprimentos.

AC disse...

sensivelmente a meio parece que a parede é mais grossa, continuando na vertical no seguimento do muro... talvez seja então uma espécie de viga, ou trave mestra (não sei se é esta a terminologia correcta). Realmente as soluções pragmáticas de acordo com o que há disponível e de acordo com a paisagem são fantásticas! será isso que também nos caracteriza (a nós portugueses). Terá sido bem desenrascado eheheh cumprimentos

Rafael Carvalho disse...

O espírito do deserascanço está efectivamente na alma portuguesa...
Cumprimentos.